Vivendo e aprendendo: o que é lifelong learning

Conheça a importância de adotar uma postura de aprendizado constante e como isso pode beneficiar sua trajetória profissional. Conheça o lifelong learning.

Que buscar novos aprendizados e desenvolvimento pessoal constantemente é algo importante todo mundo sabe, mas apesar disso ainda é fácil acabar deixando essa busca por informação presa a momentos específicos de nossas vidas.

Em um mercado em que as mudanças e novidades são cada vez mais frequentes, a capacidade de adaptação passa a ser ainda mais importante aos profissionais do que era antigamente.

Para alcançar bons resultados, o profissional de hoje precisa estar constantemente se adaptando ao ambiente, adquirindo novos conhecimentos e habilidades que permitam encarar os desafios profissionais que surgem diariamente.

Imagem com visão embaçada dando a impressão de velocidade
Fonte: chuttersnap | Unsplash

A própria evolução da introdução tecnológica no mercado de trabalho mostra a importância dessa movimentação constante. Não é nenhuma novidade que a tecnologia vem aumentando cada vez mais sua participação no ambiente profissional, tomando conta de tarefas repetitivas e que poderiam ser facilmente automatizadas com o uso de hardware e software adequados.

Nesse contexto, cresce a importância do profissional capaz de uma adaptação frequente, entendendo como essas mudanças tomam forma no dia a dia e tomando decisões ou executando projetos que combinem os recursos disponíveis para realizar entregas de alta qualidade.

Com tudo isso em mente, fica claro que para se destacar profissionalmente não dá mais para esperar até que alguém cobre seu desenvolvimento. Cada profissional precisa se colocar em uma posição de desenvolvimento proativo, e é aí que surge o lifelong learning, ou aprendizado ao longo da vida.

O que significa lifelong learning

Embora não exista uma definição padrão sobre o que é lifelong learning, o conceito por trás do termo se refere ao processo de educação constante, auto-motivado e não necessariamente realizado dentro de uma instituição de ensino formal.

A ideia é que o processo de aprendizado acompanhe cada pessoa ao longo de toda a sua vida, não ficando mais restrito apenas às etapas da infância, juventude ou início da vida adulta como acontece comumente até o final dos estudos de graduação em alguma universidade.

Imagem de uma pessoa de suéter estudando
Fonte: Green Chameleon | Unsplash

Esse rompimento do período padrão de aprendizado é o que deixa claro que o aprendizado pode acontecer também fora de instituições formais, como faculdades e escolas. É preciso que o profissional adote uma postura de aprendizado eterno — já dizia Gonzaguinha — absorvendo conhecimentos ao longo de toda a sua trajetória e a cada nova situação.

O conceito do lifelong learning também costuma ser apresentado como constituído por quatro pilares: aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser. Agora você confere um pouco sobre cada um deles.

Aprender a conhecer

Esse pilar reforça a importância de não apenas buscar o aprendizado aprofundado em áreas específicas do conhecimento, mas sim procurar o prazer por adquirir informações de maneira geral, permitindo que todos esses aprendizados, tanto amplos quanto específicos, interajam e resultem na construção do aprendizado de cada indivíduo.

É clara a importância da curiosidade e do questionamento, buscando compreender cada vez mais as situações em que você se envolve e criando de fato novos conhecimentos baseados em sua vivência.

Aprender a fazer

Não só é importante conhecer diferentes assuntos e coletar múltiplas informações, toda essa bagagem teórico precisa ser colocada em prática para promover o entendimento completo de cada conhecimento, bem como a retenção do aprendizado.

Considerando o contexto dos ambientes profissionais, esse pilar se reflete ainda na importância de aprender a executar atividades considerando não apenas o seu conhecimento em determinado assunto, mas também entendendo como outras pessoas da sua equipe podem colaborar entre si da maneira mais eficiente possível.

Aprender a conviver

Isso já foi mencionado no pilar anterior, mas esse terceiro pilar reforça a importância de entender como cada indivíduo pode contribuir para diferentes situações e promover uma colaboração rica e eficaz.

Entender como você pode interagir em equipe, se relacionar com outras pessoas e promover a colaboração permite não só atingir resultados de alta qualidade como também possibilita uma intensa troca de experiências, o que alimenta novamente a bagagem de conhecimentos de cada um.

Aprender a ser

Por fim, o pilar de aprender a ser diz respeito ao desenvolvimento humano de forma mais ampla. A característica de autonomia e independência promovida no lifelong learning abre espaço para que cada indivíduo busque não apenas conhecimentos técnicos e externos — como o aprendizado de um curso de graduação — mas também características e habilidades como a memória, o pensamento crítico, a criatividade e até as capacidades físicas de cada um.

Aqui percebe-se também que extrapolar aprendizados formais e partir para esse tipo de desenvolvimento pessoal contribui para o crescimento de cada profissional como um todo, já que todas essas potencialidades podem se combinar de diversas maneiras em diferentes situações e, então, produzir resultados únicos.


Na Provi nós estamos sempre buscando ajudar pessoas que querem transformar suas carreiras, e a busca por aprendizado constante fica ainda mais fácil com a nossa ajuda. Conheça nossas soluções de financiamento educacional e dê mais um passo rumo ao seu desenvolvimento como lifelong learner.

Veja mais sobre o autor

Matheus Torrano

Apaixonado por criatividade e inovação, busco maneiras de tornar as vidas das pessoas mais felizes com o meu trabalho.