Os principais desafios para a educação no mercado financeiro

Melhorar a educação no mercado financeiro é um desafio nacional para as escolas do setor. Veja como a sua escola pode se preparar para enfrentar essas dificuldades!

Não é nenhuma surpresa que a população brasileira não esteja acostumada a lidar com finanças pessoais, mas essa informação fica ainda mais clara quando temos números para mostrar a situação real do país.

Um levantamento realizado pelo C6 Bank em 2020 identificou que somente 21% dos brasileiros de classes A, B e C com acesso à internet receberam educação financeira durante a infância. Isso significa que quase 80% do público não teve acesso a conceitos importantes para sua proficiência financeira no início de sua vida.

Com um gargalo tão grande logo no início da formação de nossa sociedade, escolas e outras instituições de ensino que oferecem educação na área financeira precisam lidar com dificuldades para oferecer um ensino realmente efetivo aos seus estudantes.

A tecnologia contra os desafios da educação no mercado financeiro

A disseminação de ferramentas financeiras digitais como aplicativos de bancos e corretoras de investimento – além dos organizadores de finanças pessoais – fez com que as pessoas tivessem um contato mais próximo com seu dinheiro, mas isso não quer dizer que elas saibam o que fazer com ele.

Isso cria um aumento na demanda por educação financeira de qualidade, seja para quem quer começar a investir, quem deseja construir uma reserva financeira, quem está planejando a aposentadoria ou simplesmente quem quer entender como controlar melhor o dinheiro para ter uma saúde financeira maior.

Sabendo que a educação financeira no Brasil é oferecida de maneira pouco padronizada e praticamente inexistente para grande parte da população, as instituições de ensino têm que entender qual é o real nível de conhecimento de cada estudante para oferecer um treinamento adequado.

Nesse ambiente em que cada pessoa parte de uma base de conhecimentos diferente, desejando atingir múltiplos objetivos, o uso da tecnologia pode ser um grande aliado para as escolas mapearem as necessidades de cada estudante e oferecer conteúdo personalizado para cada indivíduo.

O uso de inteligência artificial e personalização já é uma tendência para instituições de ensino em geral, mas as dificuldades acentuadas da educação financeira ressaltam a importância dessas ferramentas para atingir resultados reais.

As escolas devem oferecer plataformas de ensino em que os estudantes passem por um mapeamento completo de suas necessidades de educação financeira e, partindo disso, construir jornadas individualizadas para que cada pessoa atinja a proficiência desejada em cada tema. 

Inovando na abordagem da educação financeira

Apesar da clara importância e benefícios do uso da tecnologia para a educação financeira de qualidade, as escolas também podem buscar abordagens mais tradicionais para oferecer um aprendizado eficiente.

Um professor do ensino fundamental de Campinas/SP chamou atenção ao utilizar histórias em quadrinhos como forma de aumentar o engajamento e interesse de seus estudantes para os conceitos de educação financeira de suas aulas.

Usando o formato que conta com textos mais curtos e elementos visuais para apoiar a transmissão do conhecimento, o professor decidiu adaptar o conteúdo financeiro tradicional de uma maneira que fizesse mais sentido para o público mais jovem das turmas que ele atende.

Sabendo que grande parte dos estudantes não tinha contato com a educação financeira em suas casas com seus familiares, a decisão foi se livrar dos textos longos, complexos e monótonos que muitas vezes são utilizados para ensinar o assunto e inovar com uma apresentação mais eficiente.

É claro que esse exemplo do uso de histórias em quadrinhos pode ser bastante específico e talvez não funcione para estudantes mais velhos buscando assuntos mais complexos para sua formação financeira, mas o importante é que as escolas não deixem de entender seu público para elaborar um programa de ensino que seja realmente capaz de preparar seus estudantes.

Novas oportunidades profissionais no mercado financeiro

O maior interesse do público na organização de suas vidas financeiras também abre oportunidades para profissionais que desejam se aprofundar na área.

Em entrevista para o Valor Investe, o presidente da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar), Jan Karsten, comentou sobre como a demanda por orientação financeira vem crescendo no Brasil, aumentando a necessidade de profissionais capacitados para atender esse público em crescimento.

Ele ressalta a importância de profissionais interessados em investir na carreira da orientação financeira a buscarem as certificações e capacitações adequadas para prestar um serviço de qualidade ao público, e diz que não basta entender de finanças para crescer nesse mercado.

Observando um perfil variado entre as pessoas que buscam se certificar no assunto, que vai de psicólogos a engenheiros elétricos, Karsten diz que o profissional que deseja evoluir na área precisa ter a sensibilidade necessária para entender o momento de cada cliente, diagnosticando um perfil detalhado para só então preparar uma orientação adequada.

Independentemente de como a sua escola está se preparando para oferecer uma educação financeira de qualidade no mercado, é importante pensar em como tornar esse conhecimento ainda mais acessível ao maior número de estudantes possível. E pode contar com a Provi para ajudar nesse desafio.

Parceiros da Provi contam com soluções financeiras que resolvem os problemas do seu negócio na gestão de cobranças e pagamentos dos estudantes, ajudando a aumentar as suas matrículas e liberando você para se preocupar com o que realmente importa: oferecer educação de qualidade.Entre em contato com a nossa equipe para saber como podemos ajudar você com uma solução completa para aumentar as vendas dos seus cursos e ganhar cada vez mais espaço no mercado.

Veja mais sobre o autor

Felipe Felix