5 dicas para organizar as finanças pessoais

Não existe solução mágica para resolver todos os seus problemas de dinheiro, mas você pode começar com essas ideias simples para organizar suas finanças pessoais.

Você já deve ter parado um dia para dar uma olhada nas suas finanças e sentiu aquela tristeza quando percebeu que estava sobrando mês no final do salário. É, eu garanto que você não é a única pessoa que já passou por isso.

A grande verdade é que não importa se você ganha muito ou pouco dinheiro: uma hora as contas vão chegar. Seja conta de aluguel, de luz, do cartão de crédito ou mesmo na grana que você gasta no dia a dia, é importante ter uma boa organização financeira para que você consiga tanto evitar momentos difíceis quanto atingir seus objetivos.

Apesar de não existir nenhum milagre ou fórmula mágica que vá resolver todas as suas questões financeiras, o lado bom é que você pode começar hoje mesmo a fazer mudanças simples na sua vida que vão te ajudar a controlar melhor seu dinheiro.

Nesse texto você vai encontrar algumas dicas simples para te ajudar nessa missão, mas antes de começar quero reforçar o mais importante: dedicação. Organizar suas finanças não é nada de outro mundo, mas é preciso que você se comprometa de verdade para conseguir alcançar resultados de verdade.

Sem mais enrolação, porque tempo é dinheiro. Aqui vão 5 dicas para organizar as suas finanças pessoais:

Dicas para finanças pessoais

Saiba quanto entra e quanto sai

Pode parecer óbvio, mas é exatamente por ser algo tão simples que muita gente acaba se esquecendo de fazer um controle real de tudo o que ganha e tudo o que gasta. É claro que é mais fácil termos conhecimento de todo o dinheiro que ganhamos, mas também é muito fácil se perder nos gastos pequenos do dia a dia e só depois perceber que eles se acumulam em quantias gigantes ao longo do tempo.

Hoje em dia temos vários serviços que já fazem parte da nossa rotina e que acabamos nem vendo quando somos cobrados, principalmente falando para quem usa cartão de crédito. A conta do streaming que chega todo mês, a corrida no app de transporte, a mensalidade da academia que você nem vai mais… os exemplos são muitos.

Saber exatamente quais são as suas receitas e gastos vai te ajudar a evitar gastar mais do que você ganha, uma regra de ouro para quem quer manter a saúde financeira pessoal.

Existem diversas maneiras de manter esse controle: planilhas financeiras, anotações em caderninhos e etc., mas uma opção prática e rápida são as plataformas de controle financeiro pessoal.

Essas plataformas conseguem se conectar aos seus cartões de crédito, contas bancárias e tudo mais, registrando de maneira clara todos os seus ganhos e gastos, ajudando até a categorizar cada informação para você saber com o que você deve se preocupar mais. Algumas opções que você pode conferir são a Olivia, o Guiabolso e o Mobills.

Defina metas e objetivos

Essa dica deixa ainda mais clara a importância da dedicação que eu comentei no começo desse texto. Quando você define metas e objetivos e se compromete de verdade a alcançá-los fica muito mais fácil saber como gastar e como não gastar seu dinheiro.

Não importa se o seu objetivo é algo simples como comprar uma roupa nova ou complexo como viajar para o exterior, o que vale mesmo é você estabelecer uma meta importante a ser alcançada após algum período de tempo e manter o foco naquilo.

Sabendo que existe algo que realmente te motiva a ir atrás, você vai sempre parar e pensar duas vezes antes de fazer algum gasto desnecessário. Esse é um conselho bastante intangível, mas se você realmente se dedicar a alcançar essa meta, o impacto na sua vida vai ser evidente.

Pesquise antes de comprar

Pode ser que você já tenha parado algum tempo para buscar alternativas quando vai fazer alguma compra de valor mais alto, como um celular ou um computador, mas não é só nessas horas que a pesquisa pode te ajudar a economizar.

Um bom exemplo que faz parte do nosso dia a dia é a ida ao mercado. Você vai aos poucos enchendo o carrinho com todas as coisas que foi comprar e quando chega no caixa nem parece que o número na tela encaixa com os poucos produtos que você pegou.

Sempre pare para olhar alternativas, conferir outras marcas/fornecedores, ver se existe alguma promoção acontecendo ou algo do tipo. Você pode encontrar produtos em tamanhos diferentes de embalagens acabam compensando mais de acordo com o seu uso e ajudando a economizar no fim das contas.

Ainda sobre mercados, uma coisa que pode ajudar quando você compra em grandes redes (como Carrefour e Pão De Açúcar) é conferir os aplicativos e programas de fidelidade que essas empresas oferecem. Eles são meio que uma evolução daqueles antigos jornaizinhos de mercado, oferecendo vários descontos e ofertas exclusivas para quem usa o aplicativo, além de outros benefícios que variam de loja para loja.

Outra dica que pode ajudar nisso, agora falando sobre algumas compras mais caras, como eletrônicos e eletrodomésticos, é começar a acompanhar os preços bem antes de comprar. Existem sites como o Pelando e o Zoom que permitem que você cadastre um produto para monitorar variações no seu preço, assim é fácil saber quando o valor está mais baixo e economizar mais um pouco.

Guarde uma reserva de emergência

Quase por último, mas não menos importante, não esqueça de sempre separar parte da sua receita para casos de emergência.

Todas as dicas até aqui focaram em ajudar você a guardar dinheiro ou gastar menos do que o normal, mas é importante que você também construa uma folga financeira para quando surgir algum imprevisto mais sério na sua vida.

Construa essa reserva considerando seu próprio perfil de gastos, garantindo, por exemplo, três ou seis meses de segurança em que você vai conseguir arcar com todos os seus compromissos financeiros mesmo que não aconteça nenhuma entrada de receita.

É importante saber que esse dinheiro é exclusivamente guardado para casos inesperados. Não gaste nada dele a não ser que seja estritamente necessário, assim você consegue mais equilíbrio e paz de espírito para não passar nenhum grande aperto.

Invista no seu desenvolvimento pessoal

E a dica final, que é quase uma dica bônus foge um pouco do discurso de finanças pessoais, de guardar, investir etc. e é sobre investirmos em nós mesmos. Pode ter certeza que uma das principais alavancas que a gente tem para conseguir guardar mais dinheiro, é conseguir ganhar mais e um dos caminhos com maior retorno para isso é não deixarmos a vida profissional de lado.

Fazer um curso, aprender uma habilidade que nos dá um aumento de 5% de salário, é muito mais poderoso que a maior parte das rentabilidades dos investimentos. Então, mesmo que você invista em produtos financeiros, não se esqueça de desenvolver as próprias habilidades e conhecimentos, tá bom?


Agora chega de ler e vai se organizar! Com essas dicas simples você vai conseguir manter a saúde do seu bolso muito mais em dia e alcançar de maneira muito mais fácil seus objetivos financeiros.

Não esqueça que a Provi também está aqui para te ajudar a se livrar do aperto de grana e alavancar sua carreira com um curso profissionalizante de alto nível. Saiba mais sobre nossos serviços e veja que com nosso apoio é muito mais fácil alcançar suas metas.

Nova call to action

Veja mais sobre o autor

Matheus Torrano

Apaixonado por criatividade e inovação, busco maneiras de tornar as vidas das pessoas mais felizes com o meu trabalho.