O que é Income Share Agreement (ISA)?

Entenda como o Income Share Agreement vem mudando a maneira com a qual lidamos com financiamento educacional no Brasil e no mundo.

Cuidar das finanças não é tarefa fácil. Claro que existem algumas regrinhas básicas para sempre prestarmos atenção, como não gastar mais do que você recebe, mas a gente sabe que eventualmente surgem situações que não são tão simples assim.

Pode ser que você esteja em um momento de mudança de vida, e um dos seus objetivos seja melhorar sua educação e qualificação profissional. Bom, ótimo plano. Até aí nenhum problema.

Mas de onde vai sair a grana para pagar um curso profissional que consiga realmente alavancar sua carreira?

Educação não é barata, e pode ser que a sua opção seja pegar um financiamento para conseguir começar logo esse seu curso, e só depois começar a pagar isso.

O ideal seria que você pudesse pagar esse financiamento só quando seu curso já estivesse concluído, você já tivesse conseguido firmar seu espaço no mercado e já estivesse também ganhando dinheiro, não é? Então pronto.

É basicamente isso que um Income Share Agreement (ou ISA, como chamamos aqui na Provi) faz por você.

O que é o Income Share Agreement (ISA)?

Conceito de ISA

Resumindo: o ISA é uma estrutura de acesso à educação na qual você e a escola saem ganhando. Através deste acordo de sucesso compartilhado, a escola irá se comprometer com o ensino de alta qualidade e voltado para o ingresso ao mercado de trabalho, e você só irá pagar pelo curso quando se formar e conquistar um emprego.

Será pago uma porcentagem fixa da sua renda quando ela ultrapassar um teto combinado anteriormente. Todos os meses, o estudante do ISA deve declarar quanto ele ou ela está ganhando, e assim o processo de pagamento pode acontecer normalmente.

Esse é um formato de financiamento muito adequado para investimentos em educação porque você consegue se preparar para fazer o pagamento do valor só quando o conhecimento adquirido já estiver dando algum retorno financeiro real, ou seja, quando já conseguiu um emprego com uma renda garantida.

Ah, e só pra ficar claro: se o curso escolhido não mudar a vida da pessoa e ajudá-la a ganhar mais dinheiro, o estudante nunca vai precisar pagar pelo financiamento.

O Income Share Agreement surgiu quando?

Ele não é nenhum jovenzinho. Um famoso economista chamado Milton Friedman foi o responsável por propor um programa baseado nessa estrutura nos anos 1950, e a Universidade de Yale (EUA) tentou colocar em prática uma versão da ideia nos anos 1970, mas problemas de organização acabaram levando o projeto a falhar.

Hoje em dia, com maior entendimento e preparação por parte das instituições, esse é um conceito que vem voltando com força para o mercado.

A Universidade de Purdue, também nos EUA, oferece um número limitado de vagas no seu programa, e a Universidade de Utah (EUA de novo) também está seguindo o mesmo caminho.

Além das universidades, temos muitos casos de bootcamps de tecnologia que usam esse formato lá fora, como a Lambda School.

Quais os impactos do ISA?

Uma grande mudança que o ISA promove no ambiente educacional é a nova forma que as instituições de ensino olham seus ex-alunos. Com o ISA, os estudantes não estão mais devendo parcelas de um financiamento com juros.

Agora, eles devem uma parte da sua receita futura. Isso faz com que as organizações se preocupem muito mais em garantir que seus estudantes sejam valorizados e rapidamente empregados no mercado.

ISA Summit - Inscreva-se grátis

Além disso, o ISA abre espaço para que surjam novas iniciativas focadas em aceleração de carreira. Para os próximos anos, é possível imaginar que sejam criadas empresas dedicadas a desenvolver as habilidades que sejam necessárias para alcançar altos níveis no meio profissional.

Não apenas universidades e escolas profissionais podem se interessar por esse recurso, mas também agências especializadas em mapear oportunidades de carreira, auxiliar nos processos seletivos e até identificar pontos de melhoria que garantam maior sucesso no futuro.

“Quando a gente entende o gap que existe no Brasil entre vagas não preenchidas e pessoas desempregadas, sempre vem à tona o assunto da qualificação profissional, e aqui a gente entra em uma discussão quase no mesmo tom ‘do que vem primeiro, o ovo ou a galinha?’. Se as pessoas não têm emprego, não tem recursos para se qualificarem e com isso não preenchem as vagas existentes. O ISA é o modelo mais alinhado na diminuição dessa diferença porque a pessoa vai estudar primeiro, e uma vez que ela alcança uma renda mínima, ela passa a pagar pelo ensino. É um modelo em que por definição do produto, todas as pessoas envolvidas estão focadas em um único fim, que é a pessoa conseguir um emprego e com isso mudar de vida. Eu acredito que isso seja o ponto mais incrível desse produto que sou apaixonada!”

Ana Baraldi, head de Inovação da Provi

Como eu posso usar o ISA?

Tudo bem que só falamos do ISA dando as caras lá nos Estados Unidos, mas não se preocupe, ele já está presente aqui no Brasil. Além de oferecer o modelo tradicional de financiamento educacional, a Provi também tem contratos baseados no ISA.

Como funciona o Income Share Agreement na Provi.
Como funciona o Income Share Agreement (ISA) na Provi.

Desde 2019 financiamos o ISA junto com mais de 20 instituições de ensino, com mais de 1.500 alunos no processo. Atualmente, as instituições Digital House, Instituto Infnet, Kenzie Academy, Growdev, Labenu, Cubos Academy, Le Wagon, Ironhack, Resilia, Galena, Tera, Responde Aí, Harve e Instituto Primeira Geração oferecem cursos através do ISA com a Provi.

Confira o depoimento do Rafael Andrade, um aluno do ISA:

“Após finalizar a minha graduação, acabei me encontrando em uma rua sem saída. Tinha encontrado a área pela qual acabei me apaixonando e sabia o que gostaria de fazer com meu futuro. Entretanto, sabia que para conseguir alcançar tal objetivo seria necessário me aprofundar mais no assunto, com a realização de um curso especializado. Acabei encontrando um curso fantástico, de Data Science, que fez meus olhos brilharem, mas que era muito caro. Fiquei decepcionado. Mas foi nesse momento que fui surpreendido com uma opção que até então não tinha nenhum conhecimento sobre, o ISA (Income Share Agreement). Eu não sabia como funcionava, apenas que tinha a opção de pagar o curso após finalizado e só se tivesse uma renda maior que o mínimo estabelecido. Eu até pensei que era muito bom para ser verdade. E o mais incrível é que era mesmo. O ISA permite que muitos estudantes no Brasil, que não possuem condições financeiras, tenham a oportunidade de se aprimorarem tecnicamente. Para muitos que, como eu, tem o desejo de realizar um curso para entrar no mercado de trabalho fazendo algo que sempre sonhou, o ISA trouxe essa oportunidade”.

A Deborah Salles, que é UI Designer aqui na Provi, também foi aluna de ISA e nos contou como foi sua experiência com o formato. Ela é formada em Design e estava buscando uma nova carreira, até que conheceu o modelo através de um dos nossos parceiros, e então optou por fazer o curso de UX Design. Ela diz que, a princípio, o que achou mais interessante foi a possibilidade de conquistar uma nova formação através de uma forma de pagamento que se encaixasse na renda – ponto que as demais opções não possibilitam;  e isso tudo aliado com a proposta de empregabilidade, que é a força-motriz do ISA.

“Eu gostei muito do meu curso, e estou usando tudo que aprendi. É uma sensação que eu não tive quando saí da faculdade, o conteúdo é totalmente colado com o meu dia-a-dia de trabalho como designer, é realmente pró mercado e faz muito sentido nesse modelo.”

A Deborah participou do ProviHack Woman, que aconteceu em fevereiro de 2021, e considera que esse foi um dos momentos mais importantes nesse processo. Essa é uma das diversas ações de empregabilidade que nós aqui da Provi levamos para os alunos. O objetivo do hackaton era impulsionar a carreira das mulheres participantes no mercado de tecnologia, e contou com mentorias, desafios, feira de contratações e muito mais.

“O grande fruto do ISA é eu estar aqui! E o hackathon foi muito bom para que eu tivesse contato com mais pessoas que estavam nesse mesmo movimento de migração de carreira, além de ser só meninas participando, e todo mundo bem júnior, se dando uma força… também pude treinar para entrevistas. Nesse mesmo momento que aconteceu eu me formei no curso, daí apareceu a oportunidade na Provi e deu tudo muito certo, e muito rápido!”

Um ponto importante a ser reforçado é que ser um aluno de Income Share Agreement requer muito comprometimento, ainda mais no atual cenário que vivemos.

“O aluno tem que ter muito foco… a partir do momento que eu decidi que iria estudar UX, acabou! Sua vida vai ser focada nisso, e você tem que entender que agora está no mindset estudo. Não adianta contar só com o curso e pensar que a escola vai te dar tudo e ‘eu só vou passivamente assistir’, ainda mais no ambiente online, então tem que se engajar muito com o conteúdo para dar certo.
A postura de ‘aluno’ mesmo ajuda no processo, você vai ter que fazer sua parte para o curso funcionar, e ter um papel ativo no seu processo. É muito importante entender que esse movimento vai mudar sua vida e irá ocupar sua cabeça e tempo inteiros; além de aproveitar bem todos os recursos disponíveis.”

Deborah Salles, UI Designer e ex-aluna de ISA.

Portanto, ao iniciar um curso financiado pelo ISA, tenha em mente que será necessária muita entrega, esforço e planejamento para fazer o desafio valer a pena, e assim colher os frutos desse investimento.


Estamos muito dedicados em entender as melhores maneiras de selecionar pessoas qualificadas para o ISA, estabelecer os termos dos contratos negociados e até acompanhar a evolução dos nossos alunos e escolas para dar todo o suporte necessário.

Uma coisa é certa: o ISA está só começando a mostrar seu potencial. Ele ainda tem uma história longa pela frente, e é capaz de transformar a forma com que vemos e tratamos sobre educação atualmente. E pode ter certeza que a Provi vai acompanhá-la ao longo de toda essa jornada.

Veja mais sobre o autor

Provi